Sistematizamos aqui algumas propostas de roteiros envolvendo a temática do Rio de Janeiro que podem ser desenvolvidos nas aulas de História. Esses roteiros apresentam possibilidades de sequências didáticas de durações diferentes e foram pensados para serem utilizados nos diferentes níveis e modalidades da educação básica.

Vocês poderão observar que os roteiros sugeridos, embora abarquem temáticas que envolvam diretamente o Rio de Janeiro, não se referem necessariamente  a  atividades cujo objetivo principal é o ensino da História dessa localidade. O Rio está assim, presente em todas as propostas seja como conteúdo a ser ensinado, seja como cenário onde são trabalhados alguns eixos de problematização que atravessam o ensino desta disciplina.

Chamamos de eixos de problematização questões presentes nos debates atuais no âmbito do campo de pesquisa em ensino de História tais como: o papel desta disciplina na produção da identidade/diferença, o lugar central atribuído ao tempo na constituição do conhecimento histórico, a compreensão da complexa articulação entre memória e patrimônio, o enfrentamento da tensão local e global (jogos de escala), a articulação entre indivíduo e sociedade na configuração dos sujeitos históricos tanto na produção  como  no ensino desta disciplina e os desafios apresentados pela reeducação das relações étnico-raciais e pelas singularidades do ensino de História na modalidade da Educação de Jovens e Adultos.

Cada eixo de problematização é composto por um conjunto de roteiros de atividades pedagógicas que mobilizam diferentes dinâmicas e recursos didáticos  tendo em comum o fato de trazer para a sala de aula de História a pluralidade de narrativas produzidas do/sobre o Rio de Janeiro

Identidade e diferença

Reúne roteiros didáticos que permitem explorar a interface ensino de História-identidade/diferença tendo como conteúdo ou pano de fundo a cidade do Rio de Janeiro. Eles oferecem possibilidades para trabalhar: o papel importante da História e da memória na produção de identidades e diferenças; as problematizações das narrativas nacionais eurocêntricas hegemônicas, a emergência de narrativas concorrenciais produzidas no seio de diferentes movimentos sociais.

Tempo histórico

Neste rol de propostas estão reunidas aquelas que tratam da questão da temporalidade, conceito tão caro aos historiadores, tendo o Rio de Janeiro como temática. Elas permitem explorar as diferentes dimensões relacionadas tanto ao tempo histórico – cronologia; simultaneidade, ritmos, duração, permanências e mudança – como à aprendizagem da orientação temporal, isto é,  ás formas de articular passado-presente e futuro nas narrativas produzidas.

Educação de Jovens e Adultos

Reúne roteiros que propõem o desenvolvimento de propostas didáticas direcionadas para a Educação de Jovens e Adultos que sejam a materialidade de construção de um currículo crítico e emancipatório,  a partir do reconhecimento do sujeito como ativo na transformação da natureza e da sociedade. As atividades didáticas buscam constituir conexão entre o conhecimento e prática social, identificando e problematizando como homens e mulheres, em suas relações históricas (no passado e no presente), instituem e ressignificam seus espaços de vida comunitários, escolares e individuais.

Memória e Patrimônio

Este eixo de problematização disponibiliza roteiros que visam problematizar a complexa relação entre ensino de História e memória, marcada por tensões, resistências, negações, ambiguidades. Eles procuram evidenciar os processos de produção de identidades e diferenças em meio à pluralidade de memórias coletivas que podem ser potencialmente acionadas no ensino desta disciplina.

Jogos de escala

Os roteiros didáticos que compõem este eixo permitem explorar as especificidades da história local do Rio de Janeiro trabalhando de forma articulada as diferentes escalas espaciais  – global, nacional e local . Dessa forma, ao tomar como norte a descrição e a interpretação de casos minúsculos, as propostas legitimam suas particularidades e ao mesmo tempo enriquecem a análise social tornando suas variáveis mais numerosas e complexas. Esta perspectiva metodológica contribui para a discussão da tensão que envolve a história do Rio de Janeiro vista ora como história regional ora como história nacional.

Reeducação das relações étnico-raciais

Neste eixo as propostas permitem explorar as questões referentes à reeducação das relações étnico-raciais no âmbito do ensino de História, tanto ao que se refere ao enfrentamento da questão do negro, como aos desafios que envolvem as culturas indígenas no Brasil. As sequências didáticas apresentadas são condizentes com as demandas da legislação atual (Leis 10.639/03 e 11.645/2008) que propõe a implementação da História da África, dos afro-brasileiros e das culturas indígenas nos currículos da educação básica.

Sujeitos históricos

As atividades desse eixo procuram explorar didaticamente o diálogo entre biografia e História e seus efeitos para a reflexão sobre o sentido de sujeito histórico fixado nas narrativas do Rio de Janeiro. Trata-se de evidenciar no ensino desta disciplina a tensão entre indivíduo e sociedade na explicação das intrigas narradas permitindo assim, o reconhecimento, por parte dos alunos, do papel da ação politica dos sujeitos face ao peso das estruturas.